Lentes de Contato

Lentes de Contato – Manutenção e limpeza

Proteja a saúde de seus olhos!

Várias substâncias como restos de células, gorduras, proteínas, partículas do ambiente que ficam expostas no ar, fragmentos de maquiagem e cosméticos, acabam aderindo na superfície das lentes de contato, por isso, a manutenção diária é muito importante para evitar o risco de contaminação. Caso a limpeza e higienização não sejam feitas de forma correta, ou mesmo seu prazo de troca não seja devidamente respeitado, o conforto, vida útil das lentes e a saúde de seus olhos correm perigo.

Você nunca deve usar água para limpar suas lentes, nem mesmo água filtrada. A água não tem propriedade de desinfecção e pode conter micro-organismos e germes que causam infecções oculares.

 

Cuidados para diminuir o risco de contaminação

Na correria do dia a dia, deixamos de tomar algumas precauções que fazem toda a diferença no cuidados com os olhos para quem usa lentes de contato. É necessário aderir a uma rotina de limpeza diária, para reduzir o risco de infecções, e também evitar o acúmulo de resíduos que com o tempo de uso, aderem na superfície da lente e podem prejudicar o funcionamento delas, causando até distorção da visão em alguns casos.

Veja abaixo alguns pontos importantes que devem ser levados em conta:

 

Lave as mãos

Lavar

Temos que tomar cuidado para não levar aos olhos micróbios ou substâncias que possam irritá-los. Lave bem as mãos com água e sabão neutro e seque com uma toalha limpa ou papel toalha antes de retirar ou colocar as lentes. Mexer na lente sem higienizar as mãos antes, pode levar algum micróbio ou sujeira para os olhos.

 

 

Limpeza

mao

Nunca utilize, água de torneira (nem mesmo água filtrada), água boricada, saliva ou soro fisiológico, pois você corre o risco de contaminar seus olhos.
Muitas pessoas utilizam o soro fisiológico na limpeza das lentes de contato, por isso é importante frisar que o soro fisiológico não limpa e nem desinfeta as lentes, permitindo que bactérias, gorduras e proteínas se acumulem em sua superfície.

As lentes precisam ser devidamente higienizadas antes e depois de utilizá-las, para evitar que micro-organismos externos entrem em contato com seu olho, evitando possíveis infecções. Quando retirar a lente, antes de colocá-la no estojo faça a limpeza dela.

Coloque a lente na palma da mão, que deve estar seca, pingue algumas gotas da solução multiuso e friccione delicadamente a lente com o dedo indicador para limpá-la. Faça isso nos dois lados da lente. Não é necessário encharcar a mão, mas a lente deve ficar molhada. Nunca friccione a lente seca para evitar arranhões.
Após, enxague-a com a solução multiuso, coloque a lente no estojo, feche e guarde num local seco e fresco.

 

 

Estojo

estojo
Enxague o estojo da lente de contato com a solução multiuso diariamente e substitua a solução por uma nova. Nunca reutilize a solução de limpeza que ficou armazenada no estojo.

É muito importante lavar semanalmente o estojo para prevenir infecções por micro-organismos.

Não utilize água, nem mesmo filtrada, para não contaminar o estojo.Você deve utilizar a mesma solução multiuso que utiliza na higienização das lentes para lavar o estojo, pois a solução possui substâncias bactericidas para fazer uma desinfecção e limpeza adequadas.
Antes de iniciar a limpeza do estojo, faça a higiene das mãos.

Após a lavagem do estojo, deixe-o secar totalmente antes de utilizá-lo.

Quando estiver totalmente seco, encha com a solução multiuso os dois compartimentos do estojo da lente com uma quantidade suficiente para cobrir a lente, sem transbordar.

Esse processo remove bactérias e prolonga a vida útil do estojo. É aconselhado que o estojo seja trocado a cada 3 meses, pois mesmo higienizando corretamente, com o tempo eles armazenam bactérias.

 

 

Solução

Limpe e hidrate as lentes de contato apenas com produtos indicados pelo fabricante. A solução multiuso, limpa, remove proteínas e gorduras, desinfetam e hidratam as lentes.

Existem no mercado, diversas soluções específicas para limpeza e armazenamento das lentes de contato. Nem todas as soluções são adequadas para serem usada em todos os materiais de lentes de contato.

Observe sempre a indicação do fabricante e em caso de dúvida, converse com seu médico oftalmologista. Ele irá recomendar a solução mais apropriada para seus olhos e para o tipo de lente que você utiliza.

 

 

Prazo de Validade

As lentes de contato possuem prazo de validade e devem ser substituídas por novas, após o vencimento do prazo estipulado pelo fabricante. Lentes vencidas representam um perigo para os olhos.

 

 

Observações

Lembre-se, usar a solução correta e manter a higiene adequada reduzem o risco de infecção e ajudam a manter seus olhos saudáveis.

Mantenha sempre com você, seus óculos e um kit com estojo e solução multiuso. Você nunca sabe quando irá precisar.

Caso sinta algum tipo de incômodo ou irritação nos olhos, retire as lentes e deixe os olhos descansarem um pouco. Se os sintomas persistirem, consulte seu ofalmologista.

Amaris 750 S

Correção cirúrgica de miopia, hipermetropia e astigmatismo com total segurança e rapidez

O Laser Schwind Amaris 750 S é o que existe hoje de mais seguro, mais preciso e mais rápido em termo de correção cirúrgica de miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia.
Corrige uma dioptria de miopia em apenas um segundo e meio. É 73% mais rápido que as outras tecnologias existentes hoje no mercado dos Excimer Lasers.
Possui um sistema de rastreamento capaz de captar até 1050 movimentos oculares por segundo, que corrige o foco do laser quase que instantaneamente, como toda ablação é esférica possibilita correções mais precisas, com recuperação mais rápida que outras tecnologias.

Conjuntivite

Tipos de conjuntivite, tratamentos e cuidados.

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação ou inchaço da conjuntiva.
A conjuntiva é feita de finas camadas claras e vaporosas, de tecido que cobrem a parte da frente do globo ocular, (o branco dos olhos) e também o interior das pálpebras. Dentro dela, existem uma série de pequenos vasos sanguíneos.
Na maior parte das vezes ela acomete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo e costuma durar em média, de 7 a 14 dias.
A maioria das conjuntivites não deixa sequelas, mas se não for tratada, pode comprometer a função visual.
Os sintomas podem variam dependendo de sua causa, mas os principais são:

• Vermelhidão;
• Coceira e dor nos olhos;
• Sensação de areia nos olhos;
• Inchaço dos olhos e em toda a sua volta;
• Hipersensibilidade à luz;
• Secreção espessa, geralmente de cor amarela, semelhante ao pus;

Ela pode ser causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus.

Conjuntivite viral
A conjuntivite viral é a forma mais contagiosa, e seu principal sintoma é o aumento da secreção dos olhos.O paciente pode sentir coceira, dor nos olhos, sensação de areia, hipersensibilidade à luz e vermelhidão.
Muito frequente no verão, e apesar de não ser grave, provoca muito incômodo e alguns cuidados devem ser tomados para que não se transforme em epidemia. 

Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo, sendo o contágio feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados. Esta contaminação ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.
Há também a inflamação causada por herpes que é grave, pois pode trazer danos à córnea e pode ser mais difícil de detectar pois apresenta sintomas parecidos com a conjuntivite causada pelo adenovírus que é uma das conjuntivites virais mais comuns. Os olhos ficam vermelhos e há bastante lacrimejamento.
Para secar a secreção dos olhos, o ideal é usar lenços de papel, pois são descartáveis, e deve-se lavar as mãos sempre que os usar.
Na hora de acordar, quando for abrir os olhos, se sentir que as pálpebras estão coladas, coloque uma gaze molhada com água limpa sobre os olhos e só depois tente abri-los, e durante o período que estiver contaminado, troque a fronha do travesseiro todos os dias e lave-a separada das outras. Toalhas e lenços também devem ser separados, para evitar o contágio da doença.
O tratamento consiste em combater os sintomas com compressas frias, colírios anti-inflamatórios, recomendados por um oftalmologista.

Conjuntivite bacteriana
Normalmente é mais grave que a viral, com secreção espessa, amarelada e purulenta e deixa o paciente com os olhos muito inchados.
Ela é mais comum em crianças e pessoas que usam lentes de contato. Geralmente não é contagiosa para outras pessoas, mas pode se espalhar de um olho para o outro, por isso, é importante manter as mãos longe de seus olhos, e lavar sempre as mãos antes de aplicar a medicação.
O tratamento é feito com pomadas e colírios antibióticos.

Conjuntivite alérgica
A conjuntivite alérgica geralmente afeta os dois olhos e não é contagiosa.
Pode ser o único sinal de alergia que a pessoa possa ter, mas normalmente ela vem acompanhada de outros sintomas comuns de alergia como coriza, garganta inflamada, sinusite ou congestão nasal, tosse ou asma. Este tipo de conjuntivite pode ser desencadeados por vários fatores como o uso de lentes de contato, pólen, cosméticos, animais, alimentos, produtos químicos, poeira, fumaça, vento, etc
Recomenda-se o uso de colírios antialérgicos, porque a irritação e a coceira excessiva podem resultar em pequenas cicatrizes nas córneas.
Utilizar óculos de sol ao ar livre, evitar esfregar os olhos, reduzir a exposição do ácaro e da poeira em sua casa, lavar as mãos logo após contato com animais, são algumas dicas que ajudam a reduzir a sua exposição aos alérgenos que causam a conjuntivite alérgica.

Conjuntivite química
Acontece quando os olhos têm contato com produtos tóxicos aos olhos, como cloro, spray, sabonete, fumaça de cigarro, etc. Semelhante com o que ocorre na inflamação causada por alergia, o tratamento é feito com o uso de colírios.

Para evitar as conjuntivites deve-se:

• Lavar frequentemente as mãos com água e sabão;
• Evitar as aglomerações;
• Não frequentar piscinas de uso comum, ou praias contaminadas;
• Não coçar os olhos;
• Trocar com frequência as toalhas e os sabonetes ou usar toalhas de papel;
• Não compartilhar itens pessoais, ou maquiagem;
• Evitar o contato direto com outras pessoas contaminadas.

Cuidados a serem tomados se estiver com conjuntivite:

• Não usar lentes de contato;
• Não frequentar aglomerações, nem piscinas ou praias;
• Evitar a luminosidade intensa, pois o aumento da luminosidade pode fazer com que o olho contaminado fique mais dolorido;
• Não usar  água boricada;
• Manter os olhos secos e limpos;
• Lavar diariamente toalhas, lençóis e fronhas, lavando-as separadamente;
• Lavar as mãos com água e sabão ou usar o álcool antes e depois de limpar os olhos;
• Limpar os olhos com água em abundância ou compressas embebidas em soro fisiológico;
• Evitar abraços, beijos e cumprimentos com as mãos.

Tratamento
Use colírios e antibióticos prescritos somente por um oftalmologista.
O tratamento depende primeiramente em identificar a sua causa. A conjuntivite as vezes pode ser causada por mais de uma condição que ocorre ao mesmo tempo, como uma inflamação pelo uso de lentes de contato desgastadas e conjuntivite alérgica sazonal.
É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.